As oito habilidades essenciais de um profissional de Compliance

post-02

Em mais de doze anos atuando com consultoria de Controles Internos, Compliance, Governança e Gerenciamento de Riscos, tenho observado que não apenas metodologias, mas principalmente pessoas fazem a diferença na construção e no desenvolvimento de soluções eficientes.

Nesse sentido, o texto a seguir apresenta um entendimento pessoal, embora fundamentado, das principais habilidades que todo profissional de Compliance, independente de sua formação ou experiência, deve desenvolver para atender aos desafios da profissão:

  • Comunicação eficaz;
  • Integridade;
  • Compreensão da cultura e dos negócios da empresa;
  • Conhecimento das ferramentas e metodologias mais eficazes;
  • Atitude de aprendizado contínuo;
  • Conhecimento e atualização sobre leis e regulamentos;
  • Identificação clara do cliente;
  • Desenvolvimento de uma mentalidade de longo prazo.

Comunicação eficaz:

Conheça o seu público e tenha um bom trânsito com os funcionários. O profissional de Compliance precisará conduzir investigações internas e, portanto, falará com todos os níveis da hierarquia e tipo de funcionários, do CEO ao faxineiro ou guarda de segurança. Um bom profissional de Compliance deve saber como traduzir e entregar as mensagens-chave sobre o Programa de Compliance da empresa e dessa forma obter o comprometimento de todos.

Integridade, acima de tudo:

As pessoas que interagem com o profissional de compliance devem se sentir confiantes de que a justiça, a ética e o bom senso prevalecerão. Profissionais de Compliance dependem fortemente de sua palavra. Um conhecido ditado norte-americano diz que “one is only good as his/her word”, isto é, para ser uma boa pessoa não basta falar ou fazer promessas, deve cumpri-las, fazer valer sua palavra. Ser integro é fundamental não só no tratamento com reguladores, mas também no relacionamento com clientes, colaboradores e o público em geral. A literatura internacional é unânime ao defender que “a Compliance professional must not be the YES Person“ (o profissional de Compliance não deve ser a pessoa do SIM). Ao contrário, ele deve saber dizer não, manter suas decisões e fundamentá-las para entendimento do interlocutor. Isso se revela um importante desafio para muitos profissionais, principalmente os menos experientes, e muitas vezes ambiciosos, profissionais que diariamente ingressam na carreira de Compliance. Por fim, conselhos independentes e imparciais são extremamente importantes para garantir a integridade de um professional respeitado.

Compreensão da cultura e dos negócios da empresa:

o profissional de Compliance deve conhecer a cultura da empresa, seus negócios e operações e saber o que motiva os colaboradores, desde a mais alta hierarquia da organização até o chão de fábrica. Com essa informação em mente, ele será capaz de propor e aplicar medidas que efetivamente ataquem os principais problemas identificados, sem afetar a rentabilidade e as operações da empresa. Essa habilidade é fundamental para traduzir aos empresários a importância de cumprir leis e regulamentos, mostrando como uma atitude contrária pode afetar a rentabilidade no futuro. Em outras palavras, menos exposição ao risco significa gastar menos e gerar mais resultado para distribuir a acionistas e colaboradores.

Conhecimento das ferramentas e metodologias mais eficazes:

Informação e organização são fundamentais para o sucesso de um profissional de Compliance. Para ser um bom líder de projeto, o profissional de Compliance deve ter métodos para acompanhar o trabalho da equipe, identificar questões-chave que devem ser atacadas e criar um banco de dados útil para projetos futuros. O uso de um software de Compliance e de outras ferramentas também pode ser importante. Ao lidar com uma grande equipe, um bom profissional deve ser capaz de identificar os principais riscos de uma corporação e projetar um Programa de Compliance que os trate adequadamente. O monitoramento permanente baseado em metodologia e ferramentas é extremamente importante para a perenidade do programa. Isso ajuda a reduzir os riscos e a estabelecer prazos que permitam monitorar o desenvolver o Programa de Compliance.

Atitude de aprendizado contínuo:

Um bom profissional de Compliance deve estar atualizado e buscar constantemente o aprendizado por meio das experiências, sejam elas bem sucedidas ou não, já que fracassos sempre trazem boas lições. Uma das maneiras mais importantes de aprender novas metodologias de Compliance é por meio da realização de exercícios de benchmarking com concorrentes. Um bom profissional de Compliance olha para o que está acontecendo no mercado e para o que seus concorrentes estão fazendo a fim de extrair ideias para seus próprios Programas de Compliance.

Conhecimento e atualização sobre leis e regulamentos:

Um bom profissional de Compliance deve conhecer profundamente todos os regulamentos aplicáveis ao setor em que atua, mantendo-se atualizado no que diz respeito às leis gerais de conformidade e decisões dos órgãos administrativos e judiciais. Caso trabalhe para uma empresa global ou em nome de clientes com atuação global, o profissional de Compliance deve também ter bons parceiros em cada mercado de atuação da empresa, os quais poderão contribuir com conhecimento sobre as normas e práticas locais. Uma boa rede de relacionamento é essencial para o profissional de Compliance.

Identificação clara do cliente:

Um bom profissional de Compliance deve evitar identificar-se com aqueles que usam uma corporação para perseguir seus interesses pessoais. Se o profissional de Compliance souber que um executivo ou qualquer outro colaborador está agindo em interesse próprio e não da corporação, é seu dever agir para proteger os interesses da organização, seja relatando o caso para o comitê aplicável, ou mesmo ao Conselho de Administração e, conforme o caso, aplicando medidas educacionais e/ou punitivas. O profissional de Compliance deve ser capaz de ajudar a empresa a aumentar a transparência e a responsabilidade perante os reguladores, acionistas e o público em geral.

Desenvolvimento de uma mentalidade de longo prazo:

O bom profissional de Compliance deve saber como contrabalancear as perspectivas de curto prazo da organização, direcionando esforços para prover perspectivas e agendas de longo prazo, as quais favorecem a transparência, o comprometimento e a conformidade. Uma vez implementada, a visão de longo prazo torna-se prioritária para a sustentabilidade da empresa.

Autor: Flavio Riva

Mestra Consultoria: www.mestraconsultoria.com.br

Comentários (1)

Muito bom Flavio, eu acrescentaria algumas habilidades adquiridas, como:
– Conhecimento de processos de negócios
– Habilidade de verificar Riscos nos processos
– Capacidade de desenvolver soluções diferenciadas
– Conhecimento de legislação referente ao negócio analisado
– Habilidade em relacionamento com os pares do negócio
– Habilidade em descobrir melhorias nos processos
– Capacidade de avaliar riscos nos processos

Deixe um comentário